FOCO E ESCOPO

A Revista Científica Sophia Pós-graduação (RCSP) da Faculdade AVANTIS tem por objetivo divulgar a produção científica de profissionais e pesquisadores(as), correspondendo para com uma apresentação interdisciplinar entre as áreas do conhecimento. Disponibilizando, assim, o conhecimento para o amadurecimento científico e profissional da sociedade.

Publicando artigos inéditos elaborados pelo corpo docente e discente da Faculdade Avantis e de outras Instituições de Ensino Superior, sendo esta a sua missão.

Seus objetivos são:

  • Proporcionar à comunidade acadêmica um espaço de estímulo à pesquisa nas áreas do conhecimento gestadas pela Faculdade AVANTIS;
  • Impulsionar a divulgação do conhecimento produzido a partir das pesquisas científicas desenvolvidas pela comunidade acadêmica;
  • Incentivar o ingresso e o corpo docente da pós-graduação no campo da pesquisa científica, proporcionando um espaço para que o conhecimento produzido seja divulgado;
  • Divulgar os resultados de pesquisas e de trabalhos de extensão realizados pelo corpo discente da Faculdade AVANTIS e de outras IES, promovendo a comunicação científica.

POLÍTICAS DE AVALIAÇÃO

O processo de avaliação a cega tem por finalidade reduzir os conflitos e problemas de interesses entre pareceristas, autor(a)(as)(es) e coautor(a)(as)(es), conservando a confiabilidade a e transparência durante o processo editorial. Este processo pode ser a cega ou duplo-cego.

A Comissão Científica da Revista Científica Sophia (RCSP) optou pela avaliação por pares a cega de originais (BLIND REVIEW), com momentos distintos de avaliação: no primeiro caso, serão de artigos aprovados de trabalhos de conclusão de curso da Faculdade Avantis em Banca; e no segundo, de autor(a)(as)(res) de pós-graduação de outras IES ou mesmo da Faculdade Avantis que não sejam trabalhos de conclusão de curso, mas uma produção científica independente, cuja comunicação consistirá para o crescimento da área científica da obra.

O processo de avaliação por pares a cega de originais da RCSP acontecerá do seguinte modo:

  • Haverá uma normatização especifica para elaboração e apresentação dos artigos na RCSP, contudo seguindo as recomendações propostas pela ABNT nas seguintes NBRs: ABNT NBR 6022:2003 (Artigo em publicação periódica científica impressa), ABNT NBR 6023:2002 (Referências), ABNT NBR 6024:2012 (Numeração progressiva de documentos), ABNT NBR 10520:2002 (Citações), ABNT NBR 14724:2011 (Trabalhos Acadêmicos). Além disso, para as regras tabular serão seguidas as normativas do IBGE apresentadas no ano de 1993 sob o título de Normas de Apresentação Tabular;
  • Todas as submissões são realizadas on-line, pelo sistema, e devem obedecer aos critérios estabelecidos em Diretrizes para Autor(a)(as)(es);
  • No caso de artigos de conclusão de curso enviados por discentes da Faculdade Avantis, estes devem solicitar uma cópia de aprovação junto à Coordenação de cada Curso para confirmar a avaliação por pares, a qual deverá ser postada e escaneada juntamente no processo de submissão;
  • Os artigos de conclusão de curso devem ter sido aprovados com nota 9 ou superior para serem publicados, contudo, estão sujeitos a verificação de incidência de plágio e correções orto-gramaticais;
  • Todo(a)(s) o(a)(s) autor(a)(as)(es) e coautor(a)(as)(es) deve(m) estar cadastrado(a)(s) no sistema;
  • O(A)(s) autor(a)(as)(es) ao enviar(em) o seu artigo científico pelo sistema, autoriza(m) imediatamente a RCSP para a realização do processo editorial de avaliação da sua publicação científica;
  • É de responsabilidade do(a)(s) autor(a)(as)(es) apresentar(em) os textos sem qualquer identificação de autoria (Ver ASSEGURANDO AVALIAÇÃO A CEGA);
  • Após a postagem do texto o(a)(s) autor(a)(as)(es) recebe(m) uma comunicação acusando o recebimento do mesmo;
  • O processo de avaliação do artigo, inicia-se no primeiro dia depois do prazo de submissão, podendo durar 3 (três) meses e mais 1 (um) mês. Estes 4 (quatro) meses estão divididos em: - 15 (quinze) dias para revisão editorial e encaminhamento dos artigos ao parecerista; - Em caso de artigo de conclusão de curso, o parecer final será dado pela Banca Examinadora; - 1 (um) mês para avaliação e parecer final do parecerista; - 15 (quinze) dias caso o prazo de avaliação tenha sido estendido ao parecerita; - 5 (cinco) dias à Comissão Científica proceder com avaliação de tal original, caso e somente se, o prazo estendido de avaliação não for comprido por um ou pelos dois pareceristas; - Após o período de, no mínimo, 2 (dois) meses e 5 (cinco) dias o(a)(s) autor(a)(as)(es) receberá(ão) por e-mail ou pelo sistema, a notificação da publicação com o referido parecer da tessitura de sua autoria (Ver em DIRETRIZES DE AVALIAÇÃO A CONCEITUAÇÃO FINAL DO PARECER); - O(A)(s) autor(a)(as)(es) terá(ão), caso aprovado com correções, 15 (quinze) dias para tomar as providências e recomendações dos pareceres realizados para adequar a publicação científica;- Se houver algum problema no prazo mencionado a cima, o(a)(s) autor(a)(as)(es) pode(m) solicitar à Comissão Científica ainda 10 (dias) para enviar a sua publicação científica corrigida; - Caso, e somente se, o parecerista notificar a Comissão Científica da necessidade de uma avaliação parecerista ad hoc, esta, após deliberação, podendo ser concedida ou não, este parecerita ad hoc terá 1 (um) mês para deliberar. Com isso, totaliza-se os 3 (três) ou 4 (quatro) meses da primeira parte do processo editorial;
  • Todos os artigos submetidos à RCSP de cujos resultados de suas pesquisas tenham sido realizados com seres humanos, animais não humanos ou laboratoriais deverão conter o respectivo número de protocolo de cadastramento de pesquisa (exemplo: número de CAAE, no caso de pesquisas de Seres Humanos, deverá ser identificado no texto do artigo).

DIRETRIZES PARA AVALIAÇÃO

A Comissão Científica, o corpo técnico-editorial e o(a)(s) pareceristas seguirão as seguintes DIRETRIZES DE AVALIAÇÃO de avaliação por pares a cega de originais, servindo para os artigos aprovados de trabalhos de conclusão de curso da Faculdade Avantis em Banca e de autor(a)(as)(es) de pós-graduação de outras IES ou mesmo da Faculdade Avantis que não sejam trabalhos de conclusão de curso, mas uma produção científica independente, cuja comunicação consistirá para o crescimento da área científica da obra:

  1. Os critérios de avaliação dos artigos incluem: originalidade, contribuição para a ampliação de conhecimento da área, adequação metodológica, clareza e atualidade;
  2. Na sequência, a editoria da Revista encaminha para o(a)(s) revisor(a)(as)(es) para verificar se o texto está em conformidade com as normas da Revista (como resumo, abstract, palavras-chave, referências e citações de acordo com as normas da ABNT, erros orto-gramaticais, verificação da linguagem, plágio e originalidade, e qualquer identificação de autoria, para garantir a isenção da avaliação por pares). Caso confirmado a incidência de plágio, o artigo é descartado imediatamente e comunicado ao(à) autor(a)(as)(es) da obra o motivo comprovatório de sua imediata REJEIÇÃO;
  3. É de responsabilidade do(a)(s) autor(a)(as)(es) apresentar(em) os textos sem qualquer identificação de autoria (Ver ASSEGURANDO AVALIAÇÃO POR PARES A CEGA);
  4. O(A)(s) revisor(a)(as)(es) encaminha(m) para a Comissão Científica da Revista, cujos membros desta procederão com a avaliação dos trabalhos;
  5. Todos os textos são avaliados por um(a) avaliador(a) membro da Comissão Científica;
  6. A editoria faz os contatos com o(a) avaliador(a) e disponibiliza o texto no sistema da Revista, criando login e senha para o(a) avaliador(a) ter acesso ao mesmo. Periodicamente a editoria verifica os prazos e lembra o(a) avaliador(a) sobre a ponderação dos originais sob seu critério;
  7. O(A) parecerista possui um prazo de 15 (quinze) dias contados do recebimento do original para avaliação. Caso o(a) parecerista não entregue a avaliação no prazo determinado, este prazo será estendido por mais 15 (quinze) dias contados a partir do 15º (décimo quinto) dia para a entrega mediante justificativa apresentada à Comissão Científica que julgará se é pertinente ou não continuar com tal parecerista para a avaliação do original solicitado. Se houver reincidência da não apresentação da apreciação no prazo estendido, este membro não poderá se manifestar ante o original que estava sob sua responsabilidade, cabendo ao Conselho Editorial proceder com avaliação de tal original num prazo máximo de 5 (cinco) dias;
  8. Após avaliação nos termos supramencionados o manuscrito receberá, pautado nas avaliações, as seguintes recomendações: aceito, correções obrigatórias, submeter novamente para avaliação, ou rejeitado. Qualquer uma das hipóteses é justificada por um parecer descritivo;
  9. Cabe ao(à) parecerista recomendar a aceitação, recusa ou reformulação dos trabalhos. Quando o(a) avaliador(a) enviar seus pareceres, quase sempre há a necessidade do(a)(s) autor(a)(as)(es) realizar(em) correções obrigatórias, quando o texto já não é rejeitado;
  10. Quando o(a) parecerista recusa o trabalho, o artigo é devolvido ao(à) autor(a). Quando o(a) parecerista aceita o trabalho, ele passa à fase seguinte. Por fim, quando o(a) parecerista solicita reformulações, o trabalho é devolvido ao(à) autor(a)(as)(es), solicitando que o mesmo considere os pareceres e faça as alterações recomendadas no artigo no prazo de 15 (quinze) dias contados a partir da devolução para as reformulações;
  11. Após a realização das modificações sugeridas pelo(a) parecerista, o(a)(s) autor(a)(as)(es) encaminha(m) o texto corrigido para a Revista, marcando no mesmo as alterações efetuadas;
  12. A Comissão Científica da RCSP acata as sugestões do(a) avaliador(a), sobre a pertinência da publicação ou não, quando os pareceres são circunstanciados e apontam as deficiências ou méritos dos textos. Somente em casos de solicitação do(a)(s) autor(a)(as)(es) postada(s) no sistema, quando e, somente se, o original recebeu parecer de rejeição de publicação, é que a Comissão Científica procederá com apenas uma única revisão do parecer, este confirmado, não poderá ser revisitado pela Comissão nem por nenhum de seus pareceristas;
  13. Quando o(a)(s) autor(a)(as)(es) reenvia(m) o texto reformulado, segundo as sugestões dos parecerista, ele é reavaliado pelo mesmo parecerista, e caso esteja de acordo com suas notificações, este passa à fase final;
  14. Tendo em mãos o parecer de que o original atendeu a demanda, a Comissão Científica verifica se o texto está em condições de ser publicado e, em caso afirmativo, o encaminham para a editoria que providencia a revisão final do texto, enviando-o para a edição;
  15. Todo(a)(s) o(a)(s) autor(a)(as)(es) recebe(rão), via sistema, o teor das avaliações, estando o texto aprovado ou não. Em nenhum momento antes ou depois da publicação o(a)(s) autor(a)(as)(es) ou avaliador(a) ficarão sabendo a identidade de cada qual;
  16. A aprovação da submissão não garante sua imediata publicação, já que a RCSP deve compor cada número considerando a diversificação de autoria por instituições e região do país e/ou do exterior.

Assegurando a Avaliação por Pares Cega

Para assegurar a integridade da avaliação por pares a cega, o(a)(s) autor(a)(as)(es) e coautor(a)(as)(es), bem como o(a)(s) revisor(a)(as)(es) e pareceristas, devem tomar todos os cuidados possíveis para não revelar suas identidades no processo de avaliação.

Isto exige que autor(a)(as)(es), a equipe editorial e avaliador(a) (passíveis de enviar documentos para o sistema, como parte do processo de avaliação) tomem algumas precauções com o texto e as propriedades do documento:

A identificação do(a)(s) autor(es)(as) no início do artigo é uma recomendação da NBR 6022:2002 da ABNT (Informação e documentação - Artigo em publicação periódica científica impressa – Apresentação), portanto é um elemento obrigatório e que deve constar no corpo do artigo. Por isso o(a)(s) autor(es)(as) precisam enviar, em arquivo separado, que deve conter o título do trabalho, as informações de identificação da autoria da obra, que são: o(s) nome(s) completo(s) do(a)(s) autor(a)(as)(es), a(s) instituição(ções) a que esteja(m) vinculado(s), o(s) cargo(s) que ocupa(m), endereço, e-mail e formação acadêmica. Quando o trabalho for escrito por vários autores, é preciso ordená-los de acordo com a hierarquia e contribuição de cada um. Além disso, neste arquivo, deve conter, as Fontes das Ilustrações e/ou Tabelas, caso esta seja ELABORADA PELO(A)(S) AUTOR(A)(AS)(ES). Este arquivo ficará em posse da editoria da Revista, não sendo enviado ao(à) avaliador(a);

Em documentos do Microsoft Office, a identificação do(a)(s) autor(a)(as)(es) deve(m) ser removida(s) das propriedades do documento (no menu Arquivo > Propriedades), iniciando em Arquivo, no menu principal, e clicando na sequência: Aqruivo > Salvar como... > Ferramentas (ou Opções no Mac) > Opções de segurança... > Remover informações pessoais do arquivo ao salvar > OK > Salvar;

Em PDFs, o(a)(s) nomes do(a)(s) autor(a)(as)(es) também deve(m) ser removidos das Propriedades do Documento, em Arquivo no menu principal do Adobe Acrobat;

Salienta-se também que os nomes do(a) parecerista permanecerá em sigilo, omitindo-se também perante estes os nomes do(a)(s) autor(a)(as)(es) e coautor(a)(as)(es).

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Todas as informações, independentemente de seu caráter e origem, fornecidas pelo(a)(s) autor(a)(as)(es) e coautor(a)(as)(es) à Revista Científica Sophia Pós-graduação, incluindo informações complementares solicitadas pela Comissão Científica, serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

FORMATO DE PUBLICAÇÃO

A Revista Científica Sophia Pós-graduação possui uma PUBLICAÇÃO ANUAL.

POLÍTICA DE ACESSO LIVRE

É permitida a publicação parcial dos artigos conforme Lei n° 9.610/1998 em seus arts. 46 e 47 desde que citada a fonte. TIPOS DE TRABALHOS PARA A SUMISSÃO Os artigos, obra inédita e de responsabilidade do próprio(a)(s) autor(a)(as)(es), devem atender às normas estabelecidas Lei nº 6.610, de 19 fev. 1998 - Lei dos Direitos Autorais, e nas Informações Técnicas-Normativas contidas nestas diretrizes.

De modo geral, os artigos deverão estar focados, especificamente, em resultados de pesquisa de caráter teórico/empírico, revisões críticas da literatura de pesquisa acadêmica temática ou metodológica, e reflexões críticas sobre experiências dos profissionais, independente da área do conhecimento, que ampliem e aprofundem o conhecimento dos respectivos resultados de pesquisa. Ou seja, trata-se de publicações inéditas ou ampliadas de estudos desenvolvidos ao longo do processo de pós-graduação.

Podem ser apresentados documentos nas respectivas categorias de apreciação científica:

  • Artigo Original: relato completo de investigação. Limite: 15 a 20 laudas. Sua estrutura deve conter: introdução, desenvolvimento (métodos ou procedimentos básicos, resultados, discussão), conclusão e referências;
  • Relato de Pesquisa ou Experiência: análise de implicações conceituais/investigação e descrição de pesquisas originais. Limite: 15 a 20 laudas. Sua estrutura deve conter: introdução, desenvolvimento (métodos ou procedimentos básicos, resultados, discussão), conclusão e referências;
  • Ensaio Jornalístico: relato crítico estruturado em obras literárias, acadêmicas e acontecimentos atuais do mundo que são perspectivas de mudanças drásticas, não somente, no modo de pensar humano como pontuar justificativas que intervirão em mudanças consecutivamente rápidas do modo de agir do eu e da sociedade globalizada. Limite: 15 a 20 laudas. Sua estrutura deve conter: resumo, abstract, introdução, desenvolvimento (métodos ou procedimentos básicos, resultados, discussão), considerações finais e referências;
  • Resumo: relato breve, sucinto e sumério de uma obra seja ela literária ou artística. Limite: 3 a 5 laudas. Sua estrutura deve conter: resumo, abstract, introdução, desenvolvimento (métodos ou procedimentos básicos, resultados, discussão), considerações finais e referências;
  • Comunicação Breve: relato breve de pesquisa ou de experiência profissional com evidências metodologicamente apropriadas; manuscritos que descrevem novos métodos ou técnicas serão também considerados. Limite: 6 a 12 laudas. Sua estrutura deve conter: resumo, abstract, introdução, desenvolvimento (métodos ou procedimentos básicos, resultados, discussão), considerações finais e referências;
  • Ponto de Vista: Discussão particular de resultados de pesquisa. Limite: 5 a 8 laudas. Sua estrutura deve conter: resumo, abstract, introdução, desenvolvimento (métodos ou procedimentos básicos, resultados, discussão), considerações finais e referências;
  • Resenha Científica: é uma descrição minuciosa que compreende certo número de fatos: é a apresentação do conteúdo de uma obra. Limite: 5 a 8 laudas. Sua estrutura deve conter: introdução, desenvolvimento (métodos ou procedimentos básicos, resultados, discussão), conclusão e referências;
  • Ensaio: é um gênero discursivo expositivo-argumentativo que versa sobre um tema específico em profundidade, no entanto, sem esgotá-lo. Limite: 15 a 20 laudas. Sua estrutura deve conter: introdução, desenvolvimento (métodos ou procedimentos básicos, resultados, discussão), conclusão e referências.

ORIENTAÇÕES FINAIS E RECOMENDAÇÕES

  1. A Comissão Científica da RCSP limita o número de envio de artigos, por autor(a), a 2 (duas) submissões por ano, independentemente de sua posição na autoria;
  2. Não é permitido a re-submissão de versão modificada de artigo rejeitado;
  3. O número máximo de autor(a)(as)(es) por artigo é 5 (cinco); não sendo permitidas alterações (remoção, inclusão e substituição) na autoria dos artigos após a submissão online. Solicitações de alteração de autoria implicam em arquivamento do artigo;
  4. O arquivo do artigo não deve conter identificação do(a)(s) autor(a)(as)(es) ou do(a)(s) coautor(a)(as)(es). Se for possível identificar a autoria no corpo do texto ou nas referências, o artigo será arquivado;
  5. Sobreposição de publicação: a publicação de dois artigos com considerável sobreposição não é aceitável, mesmo que em diferentes periódicos acadêmicos. Várias publicações que tenham um único conjunto de dados só devem ser permitidas: (a) se não for possível escrever um único artigo dentro do número máximo de 30 páginas; (b) se os artigos apresentarem abordagens e finalidades distintas. O editor deve ser avisado quando da submissão caso o artigo esteja de alguma forma publicado online;
  6. Os artigos e resenhas bibliográficas submetidos devem ser inéditos, nacional e internacionalmente, não estando sob consideração para publicação em nenhum outro veículo de divulgação até o aguardo do parecer final;
  7. Os conteúdos dos artigos assinados são de responsabilidade exclusiva do(a)(s) autor(a)(as)(es). Ao submeter o artigo, o(a)(s) autor(a)(as)(es) garante(m) que ele não contém nenhuma violação de quaisquer direitos autorais ou outro direito de terceira. É permitido citar parte de artigos sem autorização prévia, desde que seja identificada a fonte;
  8. Somente serão encaminhados para Blind Review pelos membros do corpo editorial os artigos que se enquadrarem nestas normas de submissão e que tenham sido enviados pelo sistema de submissão online. O mesmo procedimento deverá ser adotado na submissão de resenhas;
  9. Serão publicados os trabalhos aprovados pelos pareceritas, mas caso haja necessidade também pela Comissão Científica;
  10. A revista fica depositária dos direitos autorais dos trabalhos publicados;
  11. O trabalho que não estiver com as características exigidas, ou em desacordo com a prática acadêmica normalizada pela ABNT, será devolvido ao(à)(s) seu(sua)(s) autor(a)(as)(es);
  12. Os casos não previstos por estas Normas serão resolvidos pela Comissão Científica da Revista;
  13. As informações e conceitos emitidos nos trabalhos, bem como a exatidão das citações e referências, são de inteira responsabilidade do(a)s autor(a)(as)(es);
  14. Os trabalhos que abordem pesquisas envolvendo seres humanos terão suas aprovações condicionadas ao cumprimento das normas contidas na Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012 do Conselho Nacional de Saúde e legislações correlatas emitidas pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP);
  15. Os trabalhos que abordem pesquisas envolvendo seres animais não humanos terão suas aprovações condicionadas ao cumprimento das normas contidas na Lei nº 11.794, de 08 de outubro de 2008 e no Decreto nº 6.899, de 15 de julho de 2009 do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEIA) e legislações correlatas;
  16. Os trabalhos que abordem pesquisas envolvendo recursos vegetais ou materiais biológicos de qualquer espécie terão suas aprovações condicionadas ao cumprimento das normas contidas na Lei nº 11.105, de 24 de março de 2005 da Comissão Nacional de Biossegurança do Conselho Nacional e legislações correlatas.

 

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

O aprimoramento científico faz-se necessário o acréscimo de determinadas informações ao final de cada comunicação científica para aprimorar o aval da comunidade científica. Assim faz-se necessário que conste após as Referências as respectivas, objetivas e breves informações:

  • Contribuições dos Autores: Apreciação respectiva acerca de qual parte da elaboração do artigo cada autor(a)(res)(s) contribui(ram) eficazmente. Deve ser elaborado em um parágrafo de no máximo 5 linhas;
  • Potencial Conflito de Interesse: “O conflito de interesse existe quando autor (ou a instituição do autor), parecerista ou editor têm relações financeiras ou pessoais que possam influenciar de modo inadequado (distorçam) suas ações (tais relações também são conhecidas como compromissos duplos, interesses que competem, ou lealdades que competem). Tais relações variam desde as que têm potencial insignificante de influenciar julgamentos, até aquelas cujo potencial para isso é muito grande; nem todas (as relações) representam verdadeiros conflitos de interesse. O potencial para conflitos de interesse existe independentemente de o indivíduo acreditar que a relação afete seu julgamento científico. Relações financeiras (tais como emprego, consultoria, propriedade de ações, honrarias, peritagem paga) são os conflitos de interesse mais facilmente identificáveis e mais sujeitos a prejudicar a credibilidade da publicação, dos autores e da ciência propriamente dita. Podem ocorrer, no entanto, conflitos por outras razões, como relações pessoais, competição acadêmica e paixão intelectual”. CONFLITOS DE INTERESSE. Disponível em: <http://www.ee.usp.br/reeusp/docs/conflito_interesse.pdf>. Acesso em: 13 abr. 2016. Deve ser elaborado em um parágrafo de no máximo 5 linhas.
  • Fontes de Financiamento: Apreciação respectiva acerca se a pesquisa, e somente se esta, recebeu quaisquer meios de financiamento para a publicação.