HOMOSSEXUALIDADE FEMININA: UM ESTUDO PSICANALÍTICO A PARTIR DAS PRODUÇÕES CINEMATOGRÁFICAS “CAROL” E “AZUL É A COR MAIS QUENTE

  • Yohanna Cunha Zibell Avantis
  • Gustavo Angeli
  • Aline Neckel Amancio

Resumo

Neste artigo acadêmico é apresentada a pesquisa em psicanálise, relatada a partir da homossexualidade feminina entrelaçada com produções cinematográficas. Com o objetivo de explorar a temática da mulher homossexual, relacionada à teoria psicanalítica com o filme Carol (2015) e o filme Azul é a cor mais quente (2013). O artigo apresenta conceitos da psicanálise freudiana e pós-freudiana com o intuito de apresentar ao leitor, momentos históricos do passado e do presente sobre a temática da mulher homossexual e da homossexualidade. A pesquisa justifica-se pelo baixo número de materiais disponíveis sobre a mulher homossexual, sendo que, em um contexto LGBT há mais produções teóricas e debates acadêmicos sobre os homossexuais masculinos. Para explorar o assunto da homossexualidade feminina neste artigo é utilizada a pesquisa bibliográfica para as referências e a pesquisa em psicanálise extramuros, que aborda a psicanálise fora do contexto clínico, ligado aos fenômenos sociais e políticos; além de colocar em questão as próprias interpretações dos autores sobre o tema. São discutidas e elaboradas neste trabalho as questões sobre o lugar que a mulher homossexual tem na sociedade, a invisibilização dos desejos da mulher e como a sociedade ainda reprime a sexualidade feminina e espera que as mulheres sejam belas, recatas e do lar.


 

Publicado
2020-12-11
Como Citar
CUNHA ZIBELL, Yohanna; ANGELI, Gustavo; AMANCIO, Aline Neckel. HOMOSSEXUALIDADE FEMININA: UM ESTUDO PSICANALÍTICO A PARTIR DAS PRODUÇÕES CINEMATOGRÁFICAS “CAROL” E “AZUL É A COR MAIS QUENTE. Revista Científica Sophia, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 133-154, dez. 2020. ISSN 2317-3270. Disponível em: <http://ojs.avantis.edu.br/index.php/sophia/article/view/128>. Acesso em: 13 maio 2021.